Visual Maps: Tornar o complexo compreensível

É comum ouvirmos a expressão: “faça-me um desenho para que eu entenda melhor!”. Sabemos que a comunicação da estratégia, modelos de atuação ou mudanças organizacionais são fatores chave para o sucesso da sua Companhia. Quantas vezes você teve que transmitir informações complexas e sentiu dificuldades em fazê-lo? Até que ponto as pessoas entendem o que lhes foi comunicado?

Com frequência, é no momento da implementação que verificamos que as pessoas não entenderam a mensagem global e o que era esperado de cada um.

O nosso desafio foi criar uma forma que aliasse a necessidade de dar compreensão ao complexo em um formato gráfico!

E assim criamos os Visual Maps na Overlap! Um método de comunicação e implantação dos temas complexos do negócio garantindo o entendimento das mensagens de forma eficaz e dinâmica.

Como?

Os Visual Maps recorrem a uma metáfora visual que facilita a comunicação destes temas a todas as pessoas. São mapas baseados em elementos visuais de alto impacto, desenhados de forma criativa e de acordo com a mensagem a ser transmitida.

E porque as histórias contadas ficam na memória! Além de contar a “história”, convidamos as pessoas a refletirem sobre os temas através de dinâmicas participativas e interativas que permitem integrar a informação, aumentar o engajamento e diminuir resistências.

Os Visual Maps são recomendados para grandes grupos, tendo a particularidade dos facilitadores ou “contadores de história” serem da própria Companhia.

Qual o seu próximo tema de negócio complexo a comunicar e implementar?  Desafie-nos a construir o seu Visual Map, e tornar compreensível o que é complexo!

1 comentario
  1. un invitado
    un invitado Dice:

    Realmente, es una herramienta muy potente para tratar temas complejos de una forma simple, y para comunicar estrategias, cambios en los modelos de negocio, etc. En Brasil cada vez nos los demandan más por el impacto que genera en los equipos y la facilidad con que incorporan los mensajes y conocimientos.

    Responder

Dejar un comentario

¿Quieres unirte a la conversación?
Siéntete libre de contribuir

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *